quarta-feira, 14 de julho de 2010

Água vai



Desde o dia 1 de Julho de 2010, a Águas Públicas do Alentejo assumiu a responsabilidade pela gestão do sistema de saneamento básico e abastecimento de água, no Município de Moura e em mais 20 municípios da região. A empresa  passa a ser a entidade responsável pela concepção, projecto, construção, exploração e  gestão concessionária do sistema de exploração e gestão dos serviços de água “em alta”, substituindo assim o trabalho efectuado até aqui pelas autarquias.

O Sistema Público de guas do Alentejo serve cerca de 248.329 habitantes, e abrange uma área correspondente a cerca de 18% da área de Portugal Continental. Trata-se de uma região que vive um processo de desertificação que se pretende contrariar, procurando oferecer melhores condições de vida às suas populações e garantindo infraestruturas que possam atrair investidores e empresas.

A Águas Públicas do Alentejo resulta de um longo processo negocial, que se iniciou com a constituição, pelos 21 municípios envolvidos, da Associação de Municípios para a Gestão da Água Pública (AMGAP), presidida por José Maria Pós-de-Mina. Numa segunda fase, e em parceira com a Águas de Portugal, surge a empresa que agora irá gerir de forma integrada e melhorar o abastecimento de água em alta e o saneamento de águas residuais nos 21 concelhos, com o objectivo de fornecer mais e melhor água e uma melhor intervenção ao nível do tratamento.

Além de agregar parte dos sistemas municipais de abastecimento público de água e de saneamento dos concelhos envolvidos, a Águas Públicas do Alentejo irá construir as novas infra-estruturas que se vierem a revelar necessárias. Este acordo para a parceria permitiu consensualizar posições entre as partes e faz história porque assenta num modelo inovador que pretende e irá certamente abrir um novo caminho na coordenação entre o Estado e os Municípios para a gestão da água.

Lançado em 2001, o projecto, após várias propostas apresentadas e adiadas pelos ministros do Ambiente dos últimos quatro governos, foi enviado para Bruxelas em 2005, mas acabou por ser "chumbado" pela Comissão Europeia no início de 2007, retardando sucessivamente a solução de um problema premente que afecta de forma muito grave as populações.

------


Infelizmente, e como já vem sendo habitual no Verão, a água para abastecimento público apresenta má qualidade em algumas freguesias do nosso concelho, designadamente Amareleja e Safara, razão pela qual a Águas Públicas do Alentejo emitiu um comunicado à população prestando alguns esclarecimentos sobre o problema, e assegurando não haver quaisquer violações dos parâmetros legais em vigor.




Adenda Posterior

Ao contrário do que sucedia nos últimos anos, em que eram procuradas soluções alternativas para o fornecimento de água, recorrendo a viaturas de distribuição e ao apoio dos Bombeiros Voluntários, o que me parece poder depreender-se da nota informativa distribuída pela Águas Públicas do Alentejo, é que tal não vai acontecer.

2 comentários:

  1. è uma pena que as pessoas responsaveis pela nota informativa dirigida as freguesias, continuem a conseguir se assim o desejarem beber um copo de água tirado da torneira e que possam tomar banho sem ficarem com borbolhas na pele e sem ficarem a cheirar a peixe podre. e para lavar os dentes nao terem que recorrer a água engarrafada. pois se isso acontecesse este problema ja tinha tido de certeza uma solução definitiva.
    e já agora é pena que se esqueçam sempre de santo amador, pois também ai nao se tem água a não ser da podre...

    ResponderEliminar
  2. Caros comentadores anónimos

    Embora na realidade, os vossos comentários não tenham palavrões nem sejam ostensivamente ofensicos, considero que demonstram uma atitude que para mim é insuportável: a falta de respeito pelo próximo.

    Eu quero respeitar a vossa opinião, por isso, em vez de eliminar os comentários com indiferença, estou aqui a convidá-los a redigirem novos comentários, expressando a vossa posição sobre o assunto, mas respeitando sempre todos os que aqui vêm, ler ou escrever. Tentem colocar-se no lugar dos outros antes de deixarem sair de forma tão veemente e agressiva esses sentimentos tão negativos que pelos vistos, vos atormentam. Ou então, assinem os comentários, e aí, já serão responsáveis pelas vossas palavras. Mas sem assinatura credível, a responsável seria eu, e como tal, não posso aceitar.

    Terei muito gosto em publicar as vossas opiniões, sejam elas quais forem, desde que cumpram as regras.

    Ok?

    Obrigada.

    ResponderEliminar

Sem noção

Isto das fake news está cada vez pior. Vejam bem que agora até dizem que as 3 primeiras figuras da Nação mais o presidente da CML foram...