Afinal sempre era possível

A Galp diz que vai apostar numa rede de postos de combustível de baixo custo, denominada de Galp Base, onde será vendido combustível sem aditivos tal como nos hipermercados.


Convençam-se: Na lei da oferta e da procura, somos nós - os consumidores - quem tem o poder de decidir. Basta querermos realmente utilizá-lo.
 
Deixo só uma curiosidade: Entre o posto de combustível Galp em Moura e o posto Galp de Rosal de la Frontera há em média, 30 cêntimos de diferença por litro de gasolina. Se em Espanha a mesma empresa pode vender o combustível mais barato, porque não o faz aqui? Foi preciso fazer contas à vida e perceber o imenso imposto que se perde diariamente, pelas mãos dos residentes na zona raiana, para terras de nuestros hermanos?

Comentários

  1. Simples,

    As gasolineiras têm menos taxas e impostos cobrados pelo estado, isso reflecte-se no preço de revenda ao consumidor...

    ResponderEliminar
  2. Como diria o o outro: Agora façam as contas...

    ResponderEliminar
  3. Aqui na minha zona existe uma luta entre postos, a BP chega a descontar 18 cêntimos.

    ResponderEliminar
  4. Ora... este post é injusto. Não entra em conta com o custo da armazenagem, o esforço do declive de certas estradas (Moura é plana), e o stress provocado pelo impacto da bacia do Alqueva. Sem falar na depreciação diferencial do euro face ao dólar.

    ResponderEliminar
  5. E os caramelos do Rosal também contam...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário