Sem perdão

Hoje, que vamos ser inundados por directos, reportagens especiais, debates e opiniões de peritos e especialistas em jurisprudência, criminologia, psicologia e afins, espero que, independentemente do teor da sentença, ao final do dia sejamos capazes de pousar a cabeça na almofada e não sentir vergonha.

Da culpa e do peso na consciência já não nos livramos, porque deixámos que tudo acontecesse. E continuamos, ainda, a assobiar para o lado.
      

Comentários

  1. Somos uns patêgos que ainda acreditamos em justiça... e sei do que falo!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário