sábado, 25 de setembro de 2010

Estamos todos fartos de os aturar. Perceberam?

- Já não falo mais contigo. Já não sou teu amigo.
- Olha, olha, o dono da brincadeira sou eu! Se é assim, guardo já os meus bonecos e vou-me embora.
- Não, tu tens que me pedir para eu brincar contigo, senão vou fazer queixa ao meu padrinho!
- Era só o que faltava, eu não tenho medo dele, calha bem...


Expliquem-me, como é que num país onde tudo é um sucesso, onde todos os indicadores económicos e sociais são recebidos com tanto optimismo, chegámos à beira deste abismo onde nos encontramos, condenados a engolir mais do mesmo? Expliquem-me por favor.

2 comentários:

  1. No fundo, no fundo até apreciam as mesmas brincadeiras. Estão só a fazer-se de dificeís...

    ResponderEliminar

Nenhum homem é uma ilha.

No momento em que passam quatro anos sobre aqueles dias loucos e felizes da minha transferência para Évora, apercebo-me do impacto que a...