Jorge, José, é tudo a mesma coisa, começa por J, pá!


Parece que ontem, o nosso Primeiro esteve numa daquelas iniciativas que pretendem demonstrar que é um homem simpático, afável e bom conversador. No seu registo de voz nº 7, Sócrates conversou com jovens, para comemorar os 100 dias de governo. Falou sobre as mais diversas áreas, prometendo que neste mandato se irá notar o investimento na ciência, no ensino superior, nas energias renováveis e no apoio às empresas.

Com o sorriso nº 4 desenhado na cara, elogiou o trabalho desenvolvido no anterior mandato, designadamente os programas "iNov", o "Magalhães" e a instalação de banda larga nas escolas. Conversou com os desportistas, agradecendo as suas prestações e até conseguiu improvisar uma piada: Quando Susana Feitor disse que vinha de Rio Maior, o nosso Primeiro perguntou "A pé?".

Que  enternecedor, não acham?

A seguir conversou com José Luís Peixoto, que é um dos mais importantes escritores contemporâneos. Sendo ainda jovem, tem já a sua obra traduzida em 20 idiomas e com milhares de exemplares vendidos.

Falaram, sobretudo, sobre cultura, tendo o primeiro-ministro confessado: "Houve uma área em que reconheço que não tivemos os progressos que se registaram em outras: a cultura. E hoje o desenvolvimento está também muito dependente da expressão cultural de uma sociedade". Por isso, garantiu que "a deputada Inês Medeiros já está a trabalhar" para que exista "um sistema para trabalhadores artísticos diferente do que se aplica ao comum dos cidadãos, em particular na área da Segurança Social".

O pior foi mesmo quando, na sua tentativa de ser simpático, quis tratar o escritor pelo nome, para demonstrar a sua recém-nascida intimidade e a sua inesgotável sabedoria e cultura: "Como é que você disse que se chamava? Jorge?"

O que agora me preocupa, é o estado em que deve estar o assessor que devia ter dado esta informação. Mais um problema para resolver...

Comentários

  1. Só eu sei...(não comecem já a cantar) como me tenho andado a segurar para não deixar aqui um sucesso musical, principalmente entre os jovens, que expressa bem o nível de respeito que uma grande parte da juventude portuguesa têm pelo "nosso" PM.
    Devo dizer que acho a linguagem utilizada um pouco rasca e até bastante ofensiva mas é assim... quantos de nós já não nos sentimos ofendidos e humilhados com as politicas praticadas por este "senhor"...? Somos merecedores de menos consideração?
    Recomendo a não visualização deste vídeo por pessoas sensíveis e (so)cretinos convictos (depois digam que não avisei...).

    http://www.youtube.com/watch?v=ky799DuaN6M&feature=PlayList&p=54074B301D9B9BE0&playnext=1&playnext_from=PL&index=64

    Obs) Zélia,se considerar a linguagem demasiado pesada, compreendo que o video seja censurado...ou saneado,tanto faz...(agora é uma palavra mais moderna)

    BB

    ResponderEliminar
  2. Pois, pesado... Deve ser do chumbo da gasolina...

    ResponderEliminar
  3. Quem diria, a Zélia a criticar a política dos seus camaradas do PS,francamente deve estar com grande falha de memória rapidamente se esqueceu dos seus idiais que sempre defendeu, aconselho-a a ir a uma consulta urgente, de um neurologista ou então talvez psiquiatra,pois está mesmo a precisar, é que as outras pessoas não se esquecem o odio que ela tinha aos comunistas,como foi possivel ela esquecer-se tão rapidamente? as pessoas ditas normais e que têm boa visão percebem perfeitamente que tudo isto é puro oportunismo. Como já conseguiu empregar na Câmara toda a familia dela e amiginhos talvez agora ande já a tentar lugar para as filhas e os que ainda irão nascer?....... que fraqueza de espirito, mas a culpa não é tua é das pessoas ligadas ao PCP em Moura que te dão importância e a pessoas como tu , que não olham a meios para atingir os fins.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário